Música: um santo remédio! - Ciência mostra que ela pode aliviar a dor e ajudar a tratar doenças

Todo mundo já experimentou como uma simples canção pode relaxar, animar, entristecer, ajudar na concentração ou deixar menos ou mais estressado. Diante dos efeitos que a música tem em nosso organismo, são vários os estudos cientifícos dedicados a entender como essa forma de arte age no cérebro e pode colaborar com nossa saúde, seja afastando a depressão, aliviando a dor e até equilibrando a pressão arterial.




A MÚSICA COMO TERAPIA


"A música trata, recupera, reabilita e até ajuda a prevenir doenças", afirma a musicoterapeuta Maristela Smith, que atua na área de problemas neurológicos no Hospital das Clínicas de São Paulo.


Não é de hoje, segundo ela, que a música passou a ser objeto de estudo na área da neurociência. "Já se sabe que a música gera um estímulo tão grande, que não há uma região do cérebro que não seja influenciada".


O cérebro processa o som, e o corpo inteiro sente os efeitos. "Quando você fica doente, tudo muda: o ritmo respiratório, cardíaco. Numa hipertensão, por exemplo, tudo fica desregulado. E a música é capaz de entrar em sintonia com o organismo, que tende a sincronizar com o ritmo ouvido", destaca a especialista.


E tem mais uma característica muito especial: a resposta que uma música gera em diferentes pessoas é totalmente particular, relacionando-se com as memórias e emoções de cada um.


Maristela comenta: "Existem alguns elementos estruturais da música que levam a determinadas reações mais padronizadas. Por exemplo, 90% das pessoas que escutarem um som repetitivo e lento por mais de 15 minutos vão sentir sonolência. Da mesma forma que algumas músicas mais agitadas podem ajudar na performance dos atletas. Mas, em geral, cada um reage de um jeito a um som; é algo muito pessoal".


Por isso, entendendo a história e necessidades do indivíduo, é possível encontrar as músicas certas para atingir os objetivos terapêuticos desejados, como resgate da memória, verificar atenção e concentração, aliviar uma dor aguda ou crônica, diminuir ansiedade e melhorar o sono.




RECUPERANDO A SAÚDE COM MÚSICA


Diversos estudos já comprovaram que a música auxilia na recuperação de pacientes, desde os cardíacos até os que tratam um câncer.


Uma dessas pesquisas foi realizada na Universidade Estadual Paulista (Unesp), com foco no tratamento da hipertensão. O estudo concluiu que os pacientes hipertensos tiveram uma resposta mais rápida à medicação com auxílio da música.


"Quando o paciente tomava apenas o medicamento, os efeitos benéficos surgiam a partir de 40 minutos. Quando ele tomava o antihipertensivo e ouvia música, a resposta do coração foi mais rápida e mais intensa. A frequência cardíaca diminuía em cerca de 20 minutos", explica o professor Vitor Engrácia Valenti, pesquisador do Centro de Estudos do Sistema Nervoso Autônomo da Unesp. Isso acontece, segundo ele, porque a música atinge uma região do encéfalo relacionada ao prazer, melhorando a resposta do organismo.


Então não é só impressão, não: música faz bem demais MESMO!


Fonte: Gazeta Online



5 visualizações

Copyright©2017 - Music House Centro Musical  |  (15) 3232-4445 - Sorocaba/SP  |  Desenvolvido por Oddy_ Branding